Sessões

WS 08 - Sexualidade da pré conceção ao pós-parto

30 Março
16:00
 - 
17:30
Gabinete 5

Sobre a sessão

A Medicina Geral e Familiar (MGF) é uma especialidade que envolve uma abordagem holística e abrangente, numa sequência de cuidados longitudinais desde o nascimento e está presente em todas as fases do ciclo da vida. A compreensão dos fatores que podem afetar a função sexual feminina está intimamente ligada com a forma como vemos a sexualidade da mulher e com os modelos de resposta sexual mais estudados, com implicações não apenas na fisiologia, mas também no âmbito psicológico e emocional.

Objetivos

Neste workshop, pretendemos abordar as alterações da sexualidade da mulher e/ou casal durante a pré-concepção, gravidez e pós-parto.

Discussão

O aconselhamento da mulher e/ou casal na fase de pré-conceção e uma cuidada abordagem da fertilidade tem implicações favoráveis no bem-estar feminino e do casal.

Durante a gravidez surgem alterações e desafios à vivência da sexualidade, tais como receios relativamente ao bem-estar fetal, alterações do desejo sexual, da imagem corporal e do pavimento pélvico e ainda variações hormonais. Neste contexto, pode haver necessidade de adaptação das posições sexuais por alterações do perímetro abdominal, constituindo, assim, a gravidez uma oportunidade para explorar novas formas de vivenciar a sexualidade pela mulher e/ou pelo casal. No pós-parto há também implicações da maternidade no relacionamento conjugal. Importa ter em conta que situações como: a ocorrência de um aborto, o tipo de parto realizado, as alterações hormonais inerentes, a presença de atrofia vaginal e a presença de dor genitopélvica consequentes, bem como a presença de incontinência urinária, a fadiga/privação de sono, a prática ou não de amamentação, o desenvolvimento de Blues pós parto e toda a dinâmica inerente à gestão dos cuidados ao recém-nascido. Todas estas alterações estão, muitas vezes, na origem de problemas sexuais.

Conclusões

A função sexual da mulher parece ser afetada por eventos da vida sexual e reprodutiva, como a gravidez e o puerpério. A abordagem da Sexualidade nestes contextos deve ser, como em qualquer outra fase, livre de juízos de valor ou preconceitos e feita de acordo com a singularidade e o contexto biopsicossociocultural de cada um. Neste sentido é fundamental que o Médico de Família saiba abordar, avaliar e aconselhar em cada etapa da vida sexual da mulher, procurando clarificar mitos existentes, perceber quais as expectativas individuais e/ou do casal, respeitando sempre as crenças e o tempo de cada um.

No items found.